No Brasil, por exemplo, as escolas conduzem o aluno num caminho tradicional ancorado no conhecimento da música europeia, ditada pelos professores como “a música verdadeira”. Basta morar por alguns anos em região de cultura diferente e este conceito é extraído ou substituído pela nova maneira de ouvir e de se expressar em sons. Este novo conceito de escutar, compor e contemplar a música foi admiravelmente desenvolvido em nosso país por H. J. Köellrreutter. Maestro alemão que chegou ao Brasil na década de 20, trouxe a novidade da Música Dodecafônica e da Harmonia Funcional. Foi professor de Tom Jobim, Guerra Peixe, Julio Medaglia, Cláudio Santoro, Caetano Veloso, Tomzé, Isaac Karabichevsky, Roberto Schorrenberg e muitos outros, formando cinco gerações de grandes compositores e grandes pedagogistas musicais.

Sua obra deve-se, principalmente, ter ele vivido em Nova Delly e Toquio para lecionar e pesquisar outros sistemas e outras estéticas. Seu pensamento foi tão rechaçado pela intolerância ao novo que, na década de 50, Camargo Guarnieri, compositor nacional, redigiu carta aberta à população pedindo a expulsão do mestre alemão do país alegando ser o novo conhecimento ofensivo à música brasileira. Köellrreutter teve como aliado e defensor Mario de Andrade, formador musical e estético do próprio Guarnieri.

Voltar

Fale com o maestro

Quer mais informações sobre seu trabalho, ou tirar dúvidas sobre seus cursos ou apenas fazer um comentário? Entre em contato pelo formulário abaixo e fale diretamente com o maestro.